quinta-feira, 26 de maio de 2011

Carlos Felipe Isaac: um gigante na Maratona de Paris.


O empresário, de 34 anos, treina em São Paulo, com a turma do Parque Villa Lobos e na USP. Praticante esportes desde sempre, o atleta nos conta que praticou natação durante toda a infância e ainda fez triathlon durante 6 anos, "mas a falta de tempo e a correria do dia a dia atrapalhavam uma rotina de treinamento e resolvi parar. Depois de muito tempo resolvi voltar e procurar a Run&Fun para ter um acompanhamento e para conseguir criar uma rotina de treinos orientados por profissionais."

Vamos então às perguntas. Seu relato sobre a participação até a linha de chegada é um dos mais emocionantes que já tivemos por aqui.

Quais eram as suas expectativas e objetivos quando começou a treinar?
Devido ao ritmo intenso de trabalho eu tinha abandonado os esportes. O principal objetivo no inicio era a qualidade de vida, estava 12 quilos acima do meu peso e o estresse já estava fazendo mau. É uma terapia, uma maneira de me preparar para o dia intenso no escritório, e conforme os resultados vão aparecendo você acaba criando objetivos. Decidi me preparar para correr uma maratona.

Alcançou os objetivos?
Perdi 12 quilos em menos de 8 meses e a minha qualidade de vida é outra! Passei a dormir bem, a ter uma rotina de treinos. Conforme os resultados dos treinos vão acontecendo, você passa a se sentir mais seguro e hoje não consigo ficar sem correr, passou a fazer parte do meu dia a dia: sem a corrida, falta equilíbrio.

Qual a maior dificuldade enfrentada nos treinos e provas?
Nos treinos é abrir mão as vezes da famila e amigos para dormir cedo, ou deixar de participar de festas ou viagens para ir treinar! Nas provas é o psicológico q comanda uma grande parte da sua performance! Nas provas longas a sua cabeça é responsável por 90% da sua prova, se vc nao esta bem, o resultado vai sofrer influencia direta, nao tem jeito!

E quanto as provas internacionais?
Só participei de uma, a minha primeira maratona, de Paris (este ano). Posso dizer que foi uma prova especial. Eu estava me preparando para essa prova há pelo menos 8 meses e os últimos6 meses foram de treinamentos intensos. Você abre mão de muita coisa para se preparar para uma maratona. Amigos, família, festas, churrascos; você dorme cedo e acorda de madrugada para treinar, passa alguns dias do seu mês totalmente focado nos treinos, segue dieta, tudo para conseguir alcançar um objetivo. A minha meta era fazer os 42km em 3h50min, estava bem preparado para fazer esse tempo. Faltando 1 mês e meio para a maratona de Paris, em um dos meus últimos treinos longos eu tive uma lesão na panturrilha e fiquei quase 10 dias de muletas sem colocar o pé no chão, achei que estava fora da prova, mas com tratamento, muita fisioterapia, apoio de todos os meus treinadores, voltei a treinar e com um treinamento especifico e bem cauteloso, recebi a garantia de todos que eu correria a prova, mas com todos esses problemas, eu deveria estar preparado psicologicamente para fazer a prova entre 4h ou 4h e 15min. Era dificil absorver isso, mas tinha que aceitar.

Fui para Paris e aquele dia, seguindo oque o meu treinador me passou na vespera fiz um inicio bem controlado, em um ritmo bem seguro. O medo de todos era que eu voltasse a sentir a lesão e que ela me tirasse da prova. E como era minha primeira maratona, existia tambem o medo do pós 30 km, uma novidade para todos os estreantes, oque pode acontecer com meu corpo ou com a minha cabeça, quando eu passar pela barreira dos 30, 35 km?

Depois que passei pelos 21km, eu me sentia otimo, nem parecia que eu corria metade da prova, resolvi acelerar, e fui imprimindo um ritmo crescente a cada km, quando passei dos 30, passei pelo meu treinador e vi que dava para ir alem e acelerei mais e assim fui controlando meu ritmo, observando os sinais do meu corpo e me sentia cada vez melhor e impus um ritmo melhor. No final da prova, o filme que me passava na minha cabeca eram meus amigos, todo o esforco para estar ali correndo, minha lesão, todas as sessões de fisio, as benditas muletas que eu tive que carregar por 10 dias...

Ao cruzar a linha de chegada a sensação de superação, de força, de capacidade de realizar um sonho é indescritível, você se sente um gigante! Cheguei fisicamente muito bem, estava inteiro, e ao olhar o meu tempo, 3h45 min eu desmoronei em lagrimas! Inacreditavel! Para algumas pessoas esse tipo de coisa pode parecer boba, sem sentido, mas a superação, a conquista de um objetivo, não tem preço, não tem explicação, simplesmente é magico!!!!

Para mim, o esporte é fonte de energia para as outras atividades! O dia após um treino logo cedo rende, eu trabalho com disposição, consigo manter o equilíbrio emocional em diversas situações! Quando não treino por algum motivo, minha família e meus funcionários percebem muito rapidamente que eu estou sem treinar.

Correr para você é...
Paixão!!!! É fonte de energia para a minha cabeça e para o meu corpo!



Nenhum comentário:

Postar um comentário