quinta-feira, 30 de junho de 2011

Aterosclerose. Que nome feio! Atividade física também melhora isso?


Por Dr. Henrique Grinberg. Especialista em Cardiologia pelo InCor FMUSP e pela Sociedade Brasileira de Cardiologia. Médico Cardiologista do Hospital Sírio Libanês. Contato: henrique.grinberg@hotmail.com

Nos últimos textos conversamos um pouco sobre pressão alta, obesidade, descontrole dos triglicérides, sedentarismo e suas relações positivas com atividade física regular. Os exercícios contribuem para o controle dessas comorbidades em paralelo com bom estilo de vida. Esse controle objetiva prevenir uma série de problemas clínicos, na maioria cardiovasculares, entre eles a aterosclerose.

Aterosclerose significa esclerose da parede das artérias, com acúmulo de gordura nesses vasos, processo inflamatório local, e obstrução das progressiva das artérias. Essa doença, portanto, possui causa multifatorial e seus maiores contribuintes são os problemas citados acima, além do diabetes, do tabagismo e do fator genético. Sua consequência é a obstrução dos vasos do corpo e em especial no coração é responsável pela angina, infarto e morte.

Muito se sabe sobre o poder da atividade física regular sobre as comorbidades acima citadas, porém no controle da aterosclerose diretamente não. Recentemente um estudo publicado por pesquisadores japoneses, concluiu que pessoas com aterosclerose instalada e que possuiam suas comorbidades controladas (diabetes, pressão arterial, e colesterol), obtiveram queda de marcadores dessa doença após programa de exercícios regulares em relação a um grupo com mesmo perfil de doença, porém sedentários. Ou seja os exercícios regulares podem também diminuir a velocidade de progressão da doença que machuca o vaso, causa angina, infarto e morte. Que poder tem esse “remédio"!!

Portanto, continuem fazendo seus exercícios, estimulem as pessoas que não fazem. A equipe multidisciplinar é fundamental na orientação, estamos preparados para isso.


Nenhum comentário:

Postar um comentário