terça-feira, 30 de agosto de 2011

Hood to Coast - primeiro relato:

A van mais que personalizada levando nossos atletas pela Hood to Coast

Quem nos conta a aventura na maior prova de revezamento do mundo é o treinador Leonardo Oshiro:

"Aconteceu na última sexta e sábado, dias 26 e 27 de agosto, a 30° edição da prova de revezamento Hood to Coast em Portland. A prova carrega o título de ser a maior prova de revezamento do mundo, onde os competidores tem que completar 200 milhas ininterruptas (320 km), saindo da base do monte Hood - a leste da cidade de Portland - até chegar ao litoral - extremo oeste na costa do pacífico - em Seaside.

Segundo a organização, neste ano participaram mais de 15.000 corredores divididos em 1.200 equipes, além dos mais de 4000 voluntários que ajudaram na organização dos postos de troca e tráfego de veículos.

A Run e Fun mais uma vez mostrou sua força em provas internacionais participando com 2 equipes de 12 corredores cada, totalizando 24 atletas. Tivemos 2 treinadores acompanhando e correndo com os alunos, o professor Daniel Neves e eu, cada um com uma equipe. A minha equipe era formada por Fábio Colaferro, Armando Mesquita, Xandó, Ilana, Cláudia Matsui, Marcelo Gonçalves, Alain Levy, Alvarito, Eduardo Yassuda, Rudolf e Caio Romano.

A logística da prova exige que as equipes se dividam em duas vans de apoio, ou seja, 6 integrantes em cada van. Cada integrante corria 3 trechos totalizando 36 trechos até completar a prova. Fazendo a matemática cada atleta correu em média de 26 e 33 km, variando conforme as distâncias de cada trecho, com níveis de dificuldade variados.

Diferente do que conhecemos aqui no Brasil, as largadas da prova eram feitas em baterias de aproximadamente 15 equipes, a cada 15 minutos. A largada da equipe Lost in Oregon (a que acompanhei) foi às 15h da sexta. Os primeiros quatro trechos da prova eram em declive, com atenção especial para o primeiro: além do grande declive, era longo (10km), exigindo bastante do quadríceps dos atletas. O resto dos trechos da prova tinham uma pequena variação de altimetria, alternando em leves subidas e descidas ao longo do percurso, com exceção para o 5° e o 29°, com aclives longos e intensos de até 4 km de extensão.

Uma prova realmente dura que exigiu muito dos atletas, tanto da parte física como mental. Na minha avaliação pessoal nossos atletas foram muito bem considerando a fadiga acumulada ao longo da corrida, a dificuldade em se alimentar bem, além do pouco sono que se podia ter entre um posto de troca e outro. Portanto fica comprovada a qualidade do nosso trabalho no que diz respeito à preparação desses corredores, pois, apesar do interesse da maioria desse grupo ser a prática da corrida como qualidade de vida, se mostraram muito bem preparados para enfrentar uma prova de tamanha dificuldade.

Nossa equipe largou às 15h da sexta-feira e chegou por volta das 18:45h do sábado, fechando a prova em aproximadamente 27h45min.

Infelizmente não pude acompanhar todos os alunos da minha equipe devido a logística da prova mas 2 dos alunos que estavam na minha van se superaram."

E destaca ainda os pontos que considera positivos da prova:

- Descontração e alto astral dos participantes durante toda a prova
- Ótimo teste pra um trabalho em equipe
- Exige muita organização por parte dos atletas
- Reforça a união entre os corredores
- Visual incrível em meio à natureza em muitos trechos

E os negativos:

- Pouca sinalização ao longo do trajeto, principalmente à noite.
- Muito calor durante o dia, com temperaturas acima dos 30°.
- Não tem hidratação na prova.
- O primeiro trecho de 10km tem um declive extremamente acentuado.
- O atleta corre a maior parte do tempo na beira da pista, sem cones dividindo o acostamento e o tráfego.

Parabéns atletas!! Valeu!!





Nenhum comentário:

Postar um comentário