quinta-feira, 15 de março de 2012

Aproveitem para nadar, ainda é verão!




Assim como a corrida, nadar também caracteriza-se por ser um exercício isotônico, aeróbico cíclico e que trabalha grandes grupamentos musculares. 

Alegria de muitos, nem tanto para outros que preferem suar a camisa nos parques, ruas e academias. Entretanto pode ser uma alternativa interessante para quem deseja aliviar o impacto nos quadris, joelhos e tornozelos de forma intercalada ou permanente.

No início do ano pesquisadores avaliaram 43 pessoas sedentárias acima de 50 anos (média de 60 anos) classificados como pré-hipertensos ou hipertensos leves. Esse grupo foi treinado por 12 semanas de natação e comparado com grupo controle que realizou exercícios de relaxamento e alongamento.

O objetivo do estudo foi avaliar os efeitos da natação na pressão arterial e na função vascular. Ao final do estudo foi observado uma tendência de queda da pressão arterial sistólica ( máxima ) no grupo natação em relação ao grupo controle, além de melhora significativa da função vascular.

Portanto, não há como escapar! Se você possui alguma limitação ortopédica e deve evitar impacto nas articulações dos membros inferiores, a piscina o aguarda!!

Henrique Grinberg
Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia e pelo Instituto do Coração – HC-FMUSP.
Médico Cardiologista do Hospital Sírio Libanês.
henrique.grinberg@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário