quarta-feira, 11 de abril de 2012

Remédios para emagrecer cada vez mais restritos


A obesidade é considerada um importante problema de saúde pública no mundo atual e cada vez mais os índices relacionados ao descontrole do peso aumentam. O  desenvolvimento das doenças cardiovasculares, distúrbios metabólicos, problemas ortopédicos, entre muitos outros malefícios, preocupam as autoridades por piorar a qualidade da saúde e pelo aumento dos gastos públicos.

Atualmente vivemos a era dos medicamentos usados para emagrecer. Cada vez mais, pessoas acima do peso ideal buscam esses medicamentos para perder seus quilinhos, porém, muitas vezes usam os “emagrecedores” sem critério, de forma inadequada e o pior de tudo correndo sérios riscos de saúde frente aos diversos efeitos colaterais que o uso inadequado pode trazer. Culpa de quem? Não é o que estamos discutindo. Porém os profissionais de saúde são mais responsabilizados .

Recentemente ouvimos muito sobre os “emagrecedores” não só no meio médico, mas também na mídia. E após muitos casos relatados de seus eventos adversos, comercializá-los está mais difícil nos dias de hoje.
Recentemente membros do comitê do FDA (Food and Drug Administration) votaram 17 a 6 a favor da comprovação de segurança dos “emagrecedores” pelas indústrias farmacêuticas. Ou seja, esses medicamentos só serão comercializados após estudos com grande rigor científico, demonstrarem eficácia e segurança.

Os remédios para emagrecer têm sua importância e a aplicação clínica deve ser criteriosa. Qual medicamento e para quem? Sempre devemos responder essa pergunta antes de indicar um novo medicamento.

Nossa!! Quantos problemas envolvendo remédios para perder peso. Controlar a dieta, comer saudável e praticar atividade física regular podem ter resultados muito melhores!

E dispensa votações e grandes preocupações.


Dr. Henrique Grinberg
Especialista em Cardiologia pela Sociedade Brasileira de Cardiologia e pelo Instituto do Coração – HC-FMUSP.
Médico Cardiologista do Hospital Sírio Libanês.
henrique.grinberg@hotmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário