sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A variação do desempenho na maratona

Quando um corredor treina com toda a dedicação que uma maratona requer é natural que crie expectativas em relação ao resultado. E neste caso estamos falando de correr para alcançar algum tempo e em muitos casos buscar um recorde pessoal.

De fato, “brigar” com o relógio é um desafio que ajuda a dar aquele gás na motivação!

Foto: Wolfgang Scholvien


Por outro lado, o que muitos corredores não consideram é a possibilidade de haver uma variação no desempenho. Em outros esportes a variação é encarada como algo perfeitamente natural e compreensível.  Como no caso do futebol quando uma equipe perde de outra supostamente inferior. Ou um tenista que deveria ter chegado, no mínimo, na semi-final de um torneio, mas cai logo na segunda rodada. E por aí vai. 
O fato é que o desempenho esportivo varia sim! Inclusive na maratona. Vejamos o caso do Marilson dos Santos, que já chegou a correr  2h06min em NY (uma maratona muito difícil, com diversas subidas) e em Berlim (totalmente plana) com um tempo de 2h09min.

Em outras palavras, em se tratando de maratona também é necessário preparar-se para eventuais oscilações no desempenho.

Se adotarmos os mesmos 3% de variação no tempo final de prova, então um maratonista médio (3h45min) poderá fazer tanto 3h50min como 3h40min.

Em resumo, fica aqui o recado: no dia da maratona o que realmente importa é você fazer o seu melhor! 

Não se entregue! Lute! Terminar uma maratona qualquer que seja já o separa de mais 98% da população mundial e torna o ato de correr 42km um feito e tanto.   


Um excelente prova!
Renato Duta
(Direto Técnico da Run e Fun)




Nenhum comentário:

Postar um comentário